Bem vindo(a)!

Se adoras séries norte-americanas, gostas de estar a par das ultimas noticias, conhecer novas séries e conhecer novas pessoas e dar a tua opinião, então este é o site ideal para ti.

Faça login para poder acessar por completo nosso fórum!

Faça parte da familia «Séries Completas» entre e registra para se mas um membro da Familia

Abraço a todos que visitam nosso fórum.
Hugodf1, administrador do fórum.

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

NCIS: Los Angeles (1.02-04) – Resumo

Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

Admin

avatar
Administração
Administração

NCISLA principal


Começo por pedir imensas desculpas pelo atraso dos reviews, quando se assume um compromisso de escrever para o público é esperado que as coisas saiam a tempo. Portanto as desculpas que peço são para o público, mas também para toda a equipa do portal séries. Mas realmente nos últimos tempos a minha vida universitária tem sido uma correria.


E  aproveito para agradecer a ajuda do Aguerra que me ajudou neste compacto de NCIS:LA, e tem, ao longo, destas semanas sido um pilar para que este site tenha as coisas em dia.


NCIS:LA (1.02) – The Only Easy Day


Como toda a gente que vê séries diz é, provavelmente mais importante perceber-se a qualidade do segundo episódio que do episódio piloto. Normalmente no piloto tenta-se acima de tudo conquistar público e no segundo dar um rumo definido à série.



Ora se no primeiro se deu criaram várias tensões e situações dramáticas ao longo do episódio, neste segundo foi tudo muito calmo e sem emoção. Uma equipa a trabalhar underground a resolver um simples caso de homicídio, uma equipa de intervenção e cheia de tecnologias a resolver um homicídio pelo menos a mim não me emociona. E o episódio foi exactamente isso, leve e sem dar muito em que pensar, o que também não acho que seja boa coisa numa série policial, em que se espera grandes reviravoltas e emoções.


A harmonia entre a equipa mantém-se boa, os dois agentes principais mostram que a sua amizade é forte e que vêm de trás, o que pode trazer alguns desenvolvimentos originais. Daniela Ruah, apesar de ter tido pouco destaque, aparece realmente pouco, quando aparece rouba a cena. Nota-se que os produtores têm enorme carinho por ela e colocam-na em cenas em que o destaque é ela. Ela é bonita e talentosa e parece que os produtores pretendem mostrar exactamente isso dela.


68


NCIS:LA (1.03) – The Inside ManDaniela


NCIS:LA regressa a um caso de terrorismo e aparece assim com o melhor episódio até agora. Neste episódio temos um hackeamento de um avião não tripulado, óbvio que isto leva-nos directamente ao terrorismo e todos nos lembramos do 9/11. Portanto apesar de não ser um episódio original, acho piada à forma high-tech como abordaram o terrorismo. Também a equipa NCIS se revela altamente tecnológica, para mim isso é bom, mas não gosto quando entram em exagero e tudo é resolvido de forma demasiado rápida e as tecnologias são só um pretexto para o desenvolvimento do episódio. Espero mais inteligência no futuro no tratamento da tecnologia.


Também Daniela Ruah tem aqui o seu melhor episódio. Como disse no review do segundo episódio os produtores parecem querer apostar no talento dela. Neste episódio foi evidente que a tratam com mais carinho do que um simples apêndice da equipa, ela é importante, faz parte da equipa e estão apostados em dar-lhe destaque. Ela respondeu com uma excelente actuação. Daniela está no bom caminho.


74


NCIS:LA (1.04) – Search and Destroy


Num episódio mais emotivo e mais sentimental que o anterior, este quarto episódio retrata um tema já algumas vezes retratado nas séries do género: uma injustiça, uma armadilha feita por ricos, e o pobre a procura de justiça. Temos de novo uma envolvência com a informática, desta vez a área dos jogos. Temos uma construção normal, mas a envolvência que se deu ao episódio, e o epílogo, são bons, mas nada de especial para uma série do género.


Continuamos com as piadas dos protagonistas, algumas com mais graça que outras sem graça nenhuma, e temos, desta vez, um conhecimento maior com o nerd da série e com o seu Facebook, algo que teve alguma utilidade na série. Quanto a Daniela, a nossa menina nos States portou-se lindamente. Comparando com os protagonistas, que por vezes, em termos de representação, não dão uma para a caixa, a Daniela, mesmo na língua de Shakespeare, consegue fazer um brilharete. Temos uma representação muito digna da língua de Camões na prime-time americana.



66


_________________
http://seriescompletas.forumeiros.net

Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum